Amamentar é direito de toda mulher e de todo bebê. Partindo desse princípio, do direito, é um ato que precisa ser escolhido com consciência, não só porque é difícil e um desafio (é as duas coisas), mas porque quando se fala em ter direito a algo, como seres humanos, é fundamental que usemos os direitos sobre nossos corpos em espaço de consciência. E, sim, sabemos que para muitas mulheres escolher amamentar é uma realidade distante.

Saindo da estigma, é importante destacar que existe uma série de recomendações sobre como amamentar um bebê. Dentre elas, a pega “perfeita” que é preferivelmente chamada de pega adequada.

Adequada, sim, porque estamos falando de dois corpos se ajustando e se reconhecendo para que a amamentação flua bem. Fomos consultar o Manual Prático de Aleitamento Materno, do pediatra Carlos González, para fundamentar melhor esse ponto – livro, aliás, que você encontra na nossa loja on-line, fundamental para mães, gestantes e profissionais da amamentação.

“A mesma posição não serve para todas as mães, pois isso depende do tamanho e da orientação dos seus seios. Alguns seios são mais orientados para o meio, e outros para os lados. Em alguns casos, o mamilo aponta para frente e o bebê deve estar totalmente na frente da mãe. Em outros, o mamilo aponta mais para baixo, e o bebê deve estar um pouco inclinado para cima. O importante é que, antes de abrir a boca, sem necessidade de inclinar, dobrar ou girar o pescoço, o mamilo esteja de frente para o nariz do bebê. O eixo imaginário do peito, que é pelo mamilo, deveria apontar diretamente para o occipício do bebê.” 

Para exemplificar, separamos fotos de amamentação do livro Nascer, da Lela Beltrão, fotógrafa de parto, também disponível na nossa loja on-line. As fotos em sua maioria fazem referência a golden hour, a hora dourada da amamentação, nos primeiros momentos após o nascimento do bebê.

 

 

Curioso notar não só as similaridades das posições, mas suas diferenças. São esses pequenos ajustes que criam a pega adequada. Seguindo as instruções básicas, cada mãe pode fazer pequenos ajustes de acordo com seio. E amamentar. E, sim, não é fácil.

Informação de qualidade sobre amamentação é MUITO melhor que debates desgastados sobre ser natural ou não. Aproveite e compartilhe essas informações!